O que é a estimulação ovariana e por que é necessária?

“O procedimento de estimulação ovariana consiste na administração diária de uma injeção contendo hormônios, os quais são semelhantes aos que circulam naturalmente no corpo da mulher, mas são sintetizados em laboratório. Esses hormônios desempenham um papel fundamental ao estimular um crescimento ótimo dos folículos ovarianos”, explica nossa especialista Carolina Bouteiller.

O que são folículos ovarianos?

Os folículos ovarianos são estruturas que fazem parte dos ovários e contêm um óvulo imaturo. Conforme o folículo se desenvolve, o ovócito amadurece em seu interior. Quando o folículo atinge um determinado tamanho, ocorre a liberação do ovócito na Trompa de Falópio. Se o óvulo for fecundado por um espermatozoide, em seguida ocorrerá a implantação do embrião na cavidade uterina. Se a fecundação não ocorrer, alguns dias mais tarde ocorrerá a menstruação.

Normalmente, durante um ciclo menstrual natural, apenas um folículo atinge a maturidade e libera um óvulo. No entanto, nos tratamentos de reprodução assistida, o objetivo é desenvolver vários folículos simultaneamente para aumentar as chances de obter múltiplos óvulos viáveis.

A estimulação ovariana é crucial porque o número e a qualidade dos óvulos disponíveis têm um impacto direto nas taxas de sucesso dos tratamentos de fertilidade. Quanto mais óvulos puderem ser obtidos, maiores serão as chances de alcançar uma gravidez bem-sucedida. Portanto, a estimulação ovariana tornou-se um pilar fundamental nos tratamentos de Inseminação Artificial, Fertilização In Vitro, Doação de óvulos e Preservação da fertilidade.

A estimulação ovariana não é apenas essencial para a doação de óvulos e fertilização in vitro, mas também desempenha um papel vital em outros tratamentos de reprodução assistida. Para pessoas que enfrentam dificuldades para conceber naturalmente, a estimulação ovariana oferece uma nova esperança e a possibilidade de alcançar seu sonho.

Além de aumentar as chances de sucesso do tratamento, a estimulação ovariana também pode proporcionar aos pacientes um maior senso de controle sobre seu processo reprodutivo. Ao participar ativamente do tratamento e tomar decisões informadas junto com sua equipe médica, os pacientes podem se sentir mais envolvidos e comprometidos com sua jornada para a maternidade ou paternidade.

Como é realizada a estimulação ovariana na FIV?

O processo de estimulação ovariana é o mesmo para todos os tratamentos. Seu objetivo é coletar um bom número de óvulos para realizar a FIV. Consiste na autoadministração de injeções diárias para estimular os ovários a produzir mais óvulos, em vez de produzir apenas um óvulo. Dessa forma, após a fertilização, é possível obter um maior número de embriões para selecionar aquele que seja mais compatível com o desenvolvimento da gravidez posterior. Tem uma duração aproximada de 10 a 15 dias, dependendo de cada paciente. Durante esse período, é feito o monitoramento da paciente por meio de ecografias para observar o crescimento dos folículos e determinar quando ocorrerá a punção. Desses embriões, é selecionado aquele que se desenvolveu melhor morfocineticamente e, consequentemente, tem maior potencial de implantação.

Como é feita, quanto tempo dura e quais cuidados devem ser tomados

A estimulação ovariana para doadoras segue um protocolo semelhante ao de outros tratamentos de reprodução assistida, nos quais são administrados hormônios específicos para estimular o desenvolvimento de múltiplos folículos nos ovários. A especialista Carolina Bouteiller afirma: “Todo o processo é cuidadosamente monitorado por meio de ecografias e análises de sangue, que permitem um acompanhamento preciso do crescimento dos folículos e determinam o momento ideal para a punção ovariana.”

Em relação à duração do tratamento, ela acrescenta: “Geralmente, a duração da estimulação varia entre 10 e 15 dias, dependendo da resposta individual de cada organismo.” Uma vez que o profissional, por meio do acompanhamento ecográfico, verifica o tamanho adequado dos folículos, procede-se à inseminação artificial ou à punção ovariana, conforme o tratamento.

Cuidados durante o processo

Durante o processo de estimulação ovariana, é recomendável evitar atividades físicas intensas e, no caso de manter relações sexuais, fazê-lo com precaução. Esses cuidados ajudarão a garantir o sucesso do tratamento e a minimizar qualquer risco. “É muito importante seguir as orientações médicas de forma precisa para alcançar um resultado bem-sucedido no tratamento”, recomenda a doutora Carolina Bouteiller.

Quais efeitos colaterais posso esperar durante meu tratamento?

“Alguns sintomas podem ocorrer durante o tratamento, como leves desconfortos abdominais, inchaço mamário e sintomas semelhantes aos pré-menstruais”, esclarece nossa especialista profissional. É importante destacar que, embora a estimulação ovariana ofereça numerosos benefícios, também pode apresentar desafios emocionais para os pacientes. O processo pode exigir um forte apoio emocional de amigos, familiares e profissionais de saúde.

No entanto, apesar desses desafios, os pacientes descobrem que os benefícios da estimulação ovariana superam amplamente os obstáculos. A oportunidade de aumentar significativamente as chances de sucesso do tratamento e alcançar o sonho tão desejado faz com que todo o processo valha a pena.

No WeBank, comprometemo-nos a fornecer todas as informações necessárias e responder a todas as suas perguntas. Nossa equipe de especialistas estará à sua disposição para atender às suas preocupações e orientá-lo de forma abrangente ao longo de todo o processo.

Dra. Carolina Bouteiller

Medicina Reproductiva
Pesquisar